VISITAR EM OLIVEIRA DE FRADES

>

PR1 - ROTA DOS RIOS LEVADAS

HOME » TRILHOS

DIFICULDADE: 4

ATIVIDADE: CAMINHADA

TIPO DE ROTA: CIRCULAR

DURAÇÃO: 5H00

DISTÂNCIA: 11.300 m

 

FICHEIRO KML

FICHEIRO GPX

FLYER

 

(+351) 938 360 056

[email protected]

Introdução

A valorização da beleza natural e dos vestígios da presença humana nesta região está bem marcada em todo o percurso.

As muitas levadas, caminhos e o vale ladeado de muros transformaram declives em lameiros e as escadas antigas utilizadas, em tempos, como serventia para cultivar os terrenos férteis junto ao rio são agora colocados à disposição para uma viagem maravilhosa pelo passado, claramente tomado pela exuberante vegetação.

Não faltam as indicações do percurso e dos locais ligados às lendas e histórias do passado mais distante. As levadas, essenciais para a sobrevivência do povo local por proporcionarem a canalização da água que era fundamental para irrigar os campos, lameiros ou para moer os cereais, são agora utilizadas como trilho durante grande parte do percurso.

A água é outra constante neste percurso, ora caminhando nas margens dos rios e ribeiros, ou afastando-se para contemplar os conjuntos paisagísticos que se formaram e que nos permitem desfrutar da imensa beleza deste local.

Descendo à ponte de pedra, troço do antigo caminho do sacramento, passando a pedra má e seguindo o caminho que o leva até à antiga ponte de pau, no Cadavau, encontrará um local repleto de histórias do imaginário das gentes locais. É também partilhado pelo percurso OFR2 Rota do Gaia e permite o descanso e a observação da mina e poço dos mouros e alguns moinhos antigos.

Continue o caminho e comece a reparar no incrível espelho de água da albufeira da barragem de Ribeiradio até atravessar a povoação de Fornelo, onde pode apreciar uma casa solarenga e a capela dedicada a Nossa Senhora das Maias. Dirija-se para a ribeira dos Tombos ou de Pias, onde pode observar as ruínas do antigo lagar de azeite. Percebe-se o nome popular da ribeira dos Tombos e siga através de um exuberante cenário, passando por pequenas cascatas e lagoas de difícil acesso, circulando entre um intrincado de ramos que crescem desordenadamente em todas as direções. Árvores mortas, vivas, arbustos que rompem das pedras, fetos e os sempre presentes líquenes e trepadeiras fazem desta porção do percurso uma das mais espetaculares.

Abandone as margens da ribeira e num ritmo pausado descubra os campos agrícolas e as casas dispersas de Porcelhe.

A realização deste percurso não é aconselhada a famílias com crianças pequenas devido à sua distância total e aos troços sinuosos, contudo, dados os bons acessos de automóvel, algumas parcelas podem ser realizadas separadamente.

Este percurso pode ser realizado durante todo o ano mas tenha especial atenção aos meses mais quentes do verão e ao piso escorregadio durante os meses mais chuvosos.